sábado, 30 de janeiro de 2021

Ainda bem que vivemos no Brasil!

 



Lendo um resumo de algumas situações no período dez/20 a jan/21, me deparei com algumas notícias marcantes.

Como há uma pequena mancha na tela do meu laptop e que esconde algumas palavras, eu não vou saber dizer em qual país ocorreram esses fatos, mas deve ter sido em uma dessas republiquetas de bananas que existem por aí.

Como a COVID19 é pandêmica, atingindo o mundo todo, essa republiqueta mencionada certamente também foi atingida; e não é que, em meio a essa situação de crise mundial onde as economias dos países estão em frangalhos (com exceção da China, logicamente), o prefeito do município mais importante daquele país aprovou um aumento de salário de 46,8% para o ano de 2021?

A bem da verdade, eu já vi aumentos assim aqui no Brasil em épocas de hiperinflação, mas no país em questão a inflação em 2020 foi de 4,52%.

Pensei comigo que esse alcaide deve estar tentando recompor salários defasados de classes como professores, policiais, pessoal da saúde, bem como tentando elevar a base salarial do funcionalismo municipal, embora o momento pandêmico seja inapropriado para esse tipo de atitude; mas pior, a notícia diz que não, o aumento em questão é para o próprio prefeito e para o primeiro escalão!

Como deve ser triste e revoltante viver em uma cidade assim, e em um país assim.

Quando eu achava que estava ruim, vi que a situação daquele lugar é ainda pior; o governador do estado onde se encontra essa cidade entendeu ser necessária uma política fiscal que gerasse uma situação mais equilibrada no orçamento do estado.

Continuei a leitura do artigo para entender quais cortes seriam feitos, pois dizem que os gastos são enormes com o alto funcionalismo, com os políticos, com a máquina judiciária e com os desperdícios.

Essa republiqueta ainda possui excrescências como carros com motoristas para autoridades, ascensoristas com pós-graduação e mestrado em “apertar botões de elevadores”, etc.

Vocês provavelmente não irão acreditar, e eu não os culparei por isso, mas no país em questão há um tribunal que possui funcionários especializados em ajeitar a toga das divindades, digo, dos juízes e posteriormente ajeitar a cadeira para que seu mestre se sente; não cometam o mesmo engano que eu em pensar que poderiam se tratar de juízes tetraplégicos, não, eles são normais…ou não!

Mas voltando à análise do ajuste fiscal, não sem estupefação eu percebi que a tentativa do tal ajuste não seria por cortes nas despesas, mas sim por meio de aumento da carga tributária e das mais variadas formas, como aumento de alíquotas, término de isenções, incidência de impostos onde antes não havia, etc.

Os alvos das taxações passavam por coisas que talvez o governador entendesse que fossem supérfluas, como alimentos, medicamentos, contas de energia elétrica e outros.

Ressaltando a inteligência do governador que teve por alvo os mais pobres e que formam uma base maior de arrecadação.

Essa faixa da população já está ferrada mesmo; e o que seria uma chicotada a mais para quem já levou um monte delas?

Então tomem mais outra chicotada: junto ao prefeito, o incompetente governador achou por bem retirar a gratuidade do transporte público que era concedida aos idosos entre 60 e 65 anos.

Essa gratuidade até que poderia ser discutida e revista em outro momento, e contemplar apenas os que tivessem necessidade dela, e não de forma generalista como estava colocada; mas preferiu eliminar, sem discussão e em momento inadequado e injusto.

Que país complicado parece ser essa republiqueta de bananas!

Dizem que houve uma grita por lá; não uma revolta geral como seria de se esperar onde a população fosse mais preparada e politizada, mas pelo menos uma ameaça de manifestação vistosa e certamente midiática, com tratores, por parte de produtores rurais, e isso fez com que o governador recuasse em parte das medidas, como as que onerariam contas de energia elétrica e insumos médicos e alguns outros produtos; mas o problema persiste, e agora saem os tratores e chegam os caminhões frigoríficos.

Parece que o sujeito eleito (sim, ele foi eleito, se pendurando na popularidade do candidato que venceu a eleição presidencial; e de quem agora é inimigo) sabe que uma manifestação dessas pode vir a ser um estopim para um levante popular, uma vez que dizem haver muito descontentamento, momentaneamente reprimido pela postura pacífica ou acomodada da população local; mas que pode se soltar e explodir!

Um analista informou que a atitude de recuo foi uma estratégia do governador, que se utilizou de um sistema político batizado pela sigla SPP, que significa “Se Pegar Pegou”; se não pegar é só recuar. É uma estratégia até certo ponto parecida com aquela do “bode na sala”.

Esse governador marqueteiro, que aliás deve ter uma situação financeira delicada, pois parece usar sempre uma calça emprestada por alguém menor e que lhe fica bem apertadinha, é o mesmo que tenta ser identificado como o “pai da vacina” daquele país, e que agiu rápido e firme com o objetivo de ser o primeiro a aparecer na foto em que a primeira vacinação ocorria, sempre dando importância maior à pressa em vacinar, tal qual fazem alguns meios de comunicação para dar um furo de reportagem, assim chegando segundos antes da concorrência.

Que importante!

Nesse país deve existir alguma ONG ou algo que valha, e que faça propaganda grátis e com outdoors também cedidos, pois o mesmo governador que não tem dinheiro, faz propagandas inclusive em outros estados da federação, e onde ele não tem atuação, e algumas más línguas do lugar dizem que isso seria como uma campanha para as próximas eleições presidenciais.

Vou me abster de opinar, só o povo do lugar é que poderia dizer se é isso ou não!

Deve ser difícil a vida nesse tipo de republiqueta, composta por políticos marqueteiros e de segunda linha, para dizer o mínimo.

Ainda bem que estamos distantes!

Ainda bem que vivemos no Brasil!!

 

 

Reginaldo, para Vida Destra, 29/01/2021.                                                                Sigam-me no Twitter! Vamos debater o assunto! @Reginaldoescri1

 

Crédito da Imagem: Luiz Augusto @LuizJacoby

Obs. Publicado originalmente no  Vida Destra.


Nenhum comentário:

Postar um comentário