segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

DATAS E FATOS DA HISTÓRIA DE SABOEIRO.

 

                                     Saboeiro instala a Câmara Municipal de Iguatu, em 25.01.1853.

Antônio Erlindo Braga
Belém, 25.01.2021
O Município como instituição local no Brasil Colônia, era o modelo português, transplantado para o Brasil, regido pelas Ordenações Manuelinas e por fim pelas Ordenações Filipinas.
No Brasil Colônia na Capitania do Ceará foram criados 16 Municípios, os chamados Municípios Coloniais, sendo o 3º deles o Município do Icó, criado pela Ordem Régia de 17.10.1735, de cujo território foi desmembrado o Município de Iguatu, pela Lei número  558, de 27.11.1851.
Presume-se que a Câmara Municipal do Icó, se recusara a instalar a de Iguatu, visto que fora de seu território desmembrado o Município de Iguatu.
Então, o Tenente-coronel Manoel da Costa Braga, 1º Presidente da Câmara Municipal de Saboeiro, com o Secretário Interino da Câmara de Saboeiro, Joaquim Pereira de Souza Júnior, aquele nomeado pelo Presidente da Província do Ceará para dar posse à Câmara Municipal de Telha (Iguatu) e, este para redigir a Ata de instalação da Câmara, em 25.01.1853 deu posse à 1ª Câmara de Vereadores da Vila de Telha (Iguatu).
Manoel da Costa Braga era filho de Manoel da Costa Braga, português, e de Maria Rodrigues de Lima.
Participou ativamente da política no Império na região dos Inhamuns, inclusive na Confederação do Equador, ingressou em 16.11.1824 com sua tropa no Crato, onde houve a capitulação de Canuto José de Aguiar e das forças de José Pereira Filgueiras.
Eleito Vereador à Câmara Municipal de São Mateus (Jucás), para a Legislatura de 1837-1840.
Presidente da Câmara Municipal de Saboeiro nas Legislaturas de 1853-1856 e 1857-1858.
Nomeado 2º Substituto de Juiz Municipal de Saboeiro, em 26.02.1858.
A memória de Manoel da Costa Braga, 1º Presidente da Câmara Municipal de Saboeiro merece ser homenageada pela Câmara Municipal, denominando sua sede de PAÇO MANOEL DA COSTA BRAGA.
Curiosidade: A fortuna de Francisco Fernandes Vieira, Visconde do Icó, casado com a Viscondessa Ana Angélica Braga Fernandes Vieira, chegou a suas mãos graças a generosa ajuda de seu cunhado Manoel da Costa Braga, que lhe arranjara alguns dobrões com os quais arrematava os dízimos arrecadados.

Belém, 25.01.2021

Antônio Erlindo Braga

Nenhum comentário:

Postar um comentário