sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Dória: O Propagador do Caos

 


A busca e a disputa pelo poder levam as pessoas às mais terríveis decisões e atitudes. A história da humanidade está repleta de exemplos que corroboram esta minha afirmação. E, ao invés de aprenderem com as terríveis experiências do passado, alguns governantes atuais preferem ignorá-las e repeti-las, mesmo com os seus nefastos resultados já sendo conhecidos, e mesmo sabendo que no final, quem sempre paga o preço destas decisões é o povo.

A pandemia da Covid-19 submeteu as pessoas às mais diversas dificuldades e privações. Se já não fossem suficientes as dificuldades comuns do dia a dia, se somaram a estas as dificuldades trazidas pela nova doença. Muitos gestores públicos, como o governador do estado de São Paulo, João Dória Jr., ignorando intencionalmente o sofrimento extra das pessoas, só conseguem pensar nos benefícios políticos e financeiros que poderão obter com a atual crise.

A educação é um bom exemplo. Mesmo com os dados alarmantes apontados pelo relatório do PISA (Programme for International Student Assessment), o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgado em 2019 e que nos revelou a década perdida que tivemos em relação à educação das nossas crianças e jovens, o governador não parece ter compreendido a dimensão dos desafios enfrentados pela educação brasileira. Escrevi sobre os resultados deste relatório neste artigo!

Ao contrário, ao invés de pensar em soluções que permitissem às nossas crianças manterem o ritmo normal de estudos, depois que a Covid-19 se tornou mais conhecida pelos especialistas, e depois que se comprovou que é possível adotar medidas que permitem a redução do risco de contágio, Dória decidiu pela solução mais fácil, que foi a de manter as crianças em casa, sem aulas. Mesmo aquelas que tem acesso às aulas remotas, não estudam com a mesma qualidade que em sala de aula. O ano letivo de 2020 foi perdido, e o nosso atraso educacional aumentou, prejudicando as oportunidades futuras destes estudantes, e prejudicando o próprio desenvolvimento do nosso país.

Dória tem mostrado a sua preferência pelas soluções mais fáceis também em outras áreas. Ao se deparar com um rombo de R$ 10 bilhões de reais no orçamento estadual para 2021, fruto de sua desastrada gestão, optou por aumentar alíquotas de impostos e  cortar benefícios sociais. Esquecendo-se (ou ignorando conscientemente) que a principal causa do rombo é a retração econômica causada pela quarentena imposta à sociedade, Dória optou por impor à população uma carga tributária muito maior do que ela é capaz de suportar, e  o resultado será ainda mais retração econômica, desemprego e miséria aos paulistas.

Na área da Saúde, ao invés de permitir que as pessoas tivessem acesso a um protocolo preventivo e a medicamentos para o tratamento precoce da Covid-19, optou pelo mais fácil: adotar o uso de uma vacina chinesa que nem teve o seu desenvolvimento concluído, e que nem possui resultados conclusivos quanto à sua eficácia, segurança e efeitos colaterais.

O governador João Dória não se mostra nem um pouco preocupado com o bem estar do povo paulista. Todas as suas atitudes mostram que ele só pensa nos frutos políticos que poderá colher em 2022, se conseguir jogar sobre o presidente Jair Bolsonaro a responsabilidade pelo caos que está causando no estado mais desenvolvido e populoso, e também o maior colégio eleitoral, do país.

O povo paulista, até aqui, tem reagido de forma tímida frente a todos os descalabros autoritários e insanos de Dória. Houve manifestações pontuais, como as que foram promovidas por produtores rurais, por comerciantes, e as que estão sendo conduzidas agora pelo setor de frigoríficos. Eu acredito que, diante destes protestos, outras categorias deveriam se unir e promover um grande protesto contra o governador, e pela retomada das atividades econômicas. Além disso, já passou da hora da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) assumir o seu papel, ao lado do povo, e deixar de atender aos desejos tirânicos de Dória. Não podemos nos esquecer que as medidas de arrocho tributário e econômico foram aprovadas pela ALESP, com a maioria dos deputados ignorando os apelos da população. Os deputados devem agora trabalhar para colocar o estado de São Paulo novamente nos trilhos, ou colher as consequências políticas juntamente com o governador.

João Dória atuou para sucatear a economia paulista, para negar a educação das nossas crianças e jovens, para aumentar o sofrimento daqueles que já viviam com extrema dificuldade antes da pandemia. Além disso, não preparou os hospitais para o aumento da demanda por cuidados hospitalares, ao invés disso, tem fechado alas inteiras de hospitais, reduzindo a oferta de leitos e tratamento médico aos cidadãos paulistas, que ficam ao Deus dará. Dória tenta a todo custo desviar a atenção de tudo isso e jogar os holofotes sobre o presidente Jair Bolsonaro, cobrando do presidente a responsabilidade pelas consequências negativas de medidas adotadas única e exclusivamente pelo próprio governador, num mau-caratismo explicito e insuportável.

A nós, povo paulista, cabe a tarefa de lutar contra os desmandos deste governador que só fala em “ciência” e salvar vidas, mas que impõe medidas nunca avalizadas pela Ciência, e que não evitou que o estado tivesse o pior desempenho do Brasil em relação ao combate à Covid-19. Se um governador não é responsável pelo que acontece em seu estado, seja São Paulo ou Amazonas, para que precisamos deles? Se um governador não é responsabilizado pelas consequências de suas medidas, para que precisamos de uma Assembleia Legislativa?

Quando finalmente daremos o grito de BASTA?

 

 

Sander Souza (ConexãoJapão), para Vida Destra, 29/01/2021.
Vamos discutir o Tema! Sigam-me no Twitter @srsjoejp e no Parler @Srsjoejp                  Acessem também o meu blog: Blog do Sander

 

Crédito da Imagem: Luiz Augusto @LuizJacoby

Obs. Publicado originalmente no Vida Destra.


Nenhum comentário:

Postar um comentário