terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Tabata Amaral quer instrumentalizar PNLD para que trate de sexualidade e racismo com crianças entre 6 e 9 anos

 


A abordagem com evidência científica na alfabetização fez parte do programa de governo do presidente Bolsonaro. Para a deputada federal pelo PDT esse não deve ser o objetivo do programa, que deve discutir com crianças entre 6 e 9 anos questões como racismo, desigualdade regional, igualdade de gênero, orientação sexual, homofobia e transfobia.
Especialistas em educação afirmam que estes temas estão muito além do recomendável para a instrução de crianças nesta faixa etária, além da realização do debate com crianças tão pequenas utilizando a audiência cativa das salas de aula ser controvertida. Tem sido prática recorrente da esquerda a tentativa de impor pautas derrotadas nas urnas no “tapetão”.

O novo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) proposto pelo MEC mira na obtenção de fluência na leitura, equiparando o Brasil aos países líderes no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), tradução de Programme for International Student Assessment, é um estudo comparativo internacional realizado a cada três anos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Por Renata Araújo (@TribunaSCNews)

 

*Esta notícia pode ser atualizada a qualquer momento!

 

Vamos discutir o Tema. Sigam o perfil do Vida Destra no Twitter @vidadestra


Nenhum comentário:

Postar um comentário