segunda-feira, 16 de agosto de 2021

O “CHARLATÃO/CURANDEIRO” TEM RAZÃO SOBRE O COVID-19

                   


Sérgio Alves de Oliveira

Advogado ne Sociólogo

No mês de março do ano fluente de 2021,infelizmente, também fui um dos acometidos com o novo coronavírus.                                                                                                                                                             A essa altura dos acontecimentos,de certo modo apavorado pelas notícias correntes nos jornais,rádio e televisão, comecei a pesquisar hospitais no Litoral Norte do Rio Grande do Sul,onde atualmente resido,ou mesmo em Porto Alegre para,caso necessário,buscar o socorro médico e hospitalar adequados.

Mas toda a rede hospital estava lotada,sem vagas,com os hospitais expelindo doentes do novo coronavírus pelas suas “janelas”,seja pelo SUS,plano de saúde,ou mesmo particular.

Ouvindo e lendo os conselhos médicos atrelados à “voz” oficial da saúde pública, “obedientes”cegos às orientações da “suspeita” Organização Mundial de Saúde,deveria eu necessariamente esperar até que minha situação se agravasse,e talvez se tornasse irreversível,para então buscar o devido atendimento médico-hospitalar.

Mas as informações que me chegavam  não eram nada otimistas,quais sejam,a de que cerca de 20% dos hospitalizados não mais tinham oportunidade de voltar para casa,e que 80% dos casos de internação em UTI (respiração artificial,oxigênio,etc) ,também resultavam em óbito.

O que fazer?

Cheguei à preocupante conclusão de que eu teria que me “virar” sozinho,sem qualquer apoio dos recursos que seriam necessários,mesmo que pagos à parte.

É claro que eu teria que fazer alguma coisa para evitar que chegasse ao extremo da  necessidade de hospitalização,com um “pé” já no cemitério. Era uma questão de “legítima defesa”.De vida ou morte !!!

Acessei informações médicas “rebeldes”,desatreladas do órgão  que deveria cuidar da saúde mundial,e das suas “filiais” brasileiras, mas que não o fazem,a OMS,e me deparei com o que chamaram de “tratamento precoce”,com uma espécie de “coquetel” de medicamentos já existentes,embora em princípio receitados à tratamento e cura  de outras doenças. E as informações médicas sobre o poder de “cura”,ou ao menos de “ajuda”, desses remédios alternativos na prevenção e cura do Covid-19,não se resumiam a uma só fonte,porém a várias,havendo inclusive serviços médicos de prefeituras municipais do interior do Brasil recomendando seu uso.

Saliente-se que nessa época  as vacinas contra essa doença nem estavam disponíveis para aplicação.

Não pretendo fazer nenhuma injustiça,mas acredito que a real intenção da Organização Mundial de Saúde foi a de causar o número máximo possível de óbitos no mundo,com o maldito vírus chinês,certamente fazendo o “jogo” de interesses de certos grupos ideológicos e econômicos genocidas,cujas metas objetivam ,“sorrateiramente”,a redução da humanidade.

Creio ter sido essa a principal razão pela qual o Presidente da República do Brasil,Jair Bolsonaro, resolveu “chutar-o-balde” do establishment médico-hospitalar brasileiro e mundial,acreditando no tratamento alternativo da “cloroquina”,na verdade fora da sua competência profissional,mas ”receitando-a” para a população acometida pela doença,logo no início e antes do  agravamento do estado de saúde e necessidade de internação hospitalar,UTI,etc.

No “coquetel” que me curou do novo coronavírus,cuja receita “formal”para comprar obtive com muita dificuldade,conseguindo “arrancá-la” do meu médico ,praticamente na “marra”,constava a “hiidroxicloroquina”,também “receitada” por Jair Bolsonaro,a quem agradeço o que considero mero “conselho”. E ”conselho” esse que eu também repasso a qualquer um, ontem e hoje. Também terei a “honra” de ser chamado como réu da CPI?

Por esse motivo causou-me indignação e perplexidade o “indiciamento” do Presidente da República pela CPI do Covid -19,onde os parlamentares marginais que a integram acusam-no da  prática dos crimes de “charlatanismo e curandeirismo”.

Será que os “picaretas” da CPI Covid-19 também acusarão de charlatanismo todas as autoridades que assinaram embaixo da “garantia” que deram aos diversos imunizantes que andam por aí contra o novo coronavírus? Apesar de estarem morrendo uns após os outros pessoas que foram vacinadas com as duas doses exigidas? Como aconteceu hoje com o ator Tarciso Meira,que morreui? E com Silvio Santos,que teve que ser internado às pressas em UTI?



Nenhum comentário:

Postar um comentário