sábado, 11 de setembro de 2021

ORDENAÇÕES HUMANAS


 


       “Sujeitai-vos, pois, a toda ordenação humana, por amor do Senhor.” 

— (1ª EPÍSTOLA A PEDRO, capítulo 2, versículo 13.) 

 

Certos temperamentos impulsivos, aproximando-se das lições do Cristo, 

presumem no Evangelho um tratado de princípios destruidores da ordem 

existente no mundo. Há quem figure no Mestre um anarquista vigoroso, 

inflamado de cóleras sublimes. 

Jesus, porém, nunca será patrono da desordem. A novidade que 

transborda do Evangelho não 

aconselha ao espírito mais humilhado da Terra a adoção de armas contra 

irmãos, mas, sim, que se humilhe ainda mais, tomando a cruz, a exemplo do 

Salvador. 

Claro está que a Boa Nova não ensina a gen uflexão ante a tirania 

insolente; entretanto, pede respeito às ordenações humanas, por amor ao 

Mestre Divino. 

Se o detentor da autoridade exige mais do que lhe compete, transforma-se 

num  déspota  que  o  Senhor  corrigirá,  através  das  circunstâncias  que  lhe 

expressam os desígnios, no momento oportuno. Essa certeza é mais um fator 

de tranqüilidade para o servo cristão que, em hipótese alguma, deve quebrar o 

ritmo da harmonia. 

Não te faças, pois, indiferente às ordenações da máquina de trabalho em 

que te encontras. É possível que, muita vez, não te correspondam aos desejos, 

mas lembra-te de que Jesus é o Supremo Ordenador na Terra e não te situaria 

o esforço pessoal onde o teu concurso fosse desnecessário. 

Tens algo de sagrado a fazer onde respiras no dia de hoje. Com 

expressões de revolta, tua atividade será negativa. Recorda-te de semelhante 

verdade e submete-te às ordenações humanas por amor ao Senhor Divino. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário